[TIROU A MÁSCARA] Ex-Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente da OAB desmascara Presidente Bolsonaro em vídeo

Advogada critica o Presidente por sua postura controversa diante dos líderes mundiais e pelas ações desastrosas da gestão do meio ambiente pelo Governo Federal.

Marina Gadelha no Conselho Federal da OAB. Foto: Instagram/Reprodução.

A Advogada Paraibana e Conselheira Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marina Gadelha – Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente do Conselho Federal da OAB, por aproximadamente 02 gestões (2016-2020) – desmascarou nesta quinta-feira (22), em vídeo veiculado em seu perfil no Instagram, o Presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), diante de sua pífia participação na reunião da Cúpula de Líderes sobre o Clima, puxada pelo Presidente Estadunidense, Joe Biden.

Na postagem, a advogada que deixou a Presidência da Comissão de Meio Ambiente em meados de setembro de 2020, demonstra grande insatisfação pelo desprestígio do país no cenário global e lembra da importância que a nação brasileira já teve nos debates climáticos. Segundo Gadelha, “não somos mais aquele player tão relevante que já fomos”.

Marina argumenta que a fala do Presidente é totalmente controversa e distante do real e que o Brasil não é esse país que o gestor quer passar para a Comunidade Internacional.

“Também é muito importante destacar aqui a fala do Presidente da República, que na minha opinião, é completamente desconectada da realidade. Eu adoraria viver no Brasil que o Presidente Bolsonaro diz que é o Brasil atual, sob o aspecto ambiental. Ao contrário do que ele disse, os órgãos ambientais e os seus servidores estão passando por um momento extremamente difícil, com redução drástica no orçamento, com amordaçamento e redução dos poderes dos Servidores” – destacou Gadelha.

De acordo com a advogada, bem recentemente, inclusive, uma instrução normativa conjunta dos órgãos federais de proteção ao Meio Ambiente, como o Ibama e o ICMBio, proíbe os servidores de por exemplo, aplicarem um embargo à uma área ou a uma atividade que esteja cometendo uma infração ambiental.

“O servidor pode indicar uma necessidade de um embargo, mas essa necessidade, de acordo com a paraibana, precisa ser revista pelo superior hierárquico, para só assim ser aplicado, o que na prática, acaba inviabilizando esse tipo de medida que é extremamente importante para que o dano que esteja ali sendo observado não se perpetue” – declarou.

Outra questão levantada pela ex-Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente, da OAB, foi a redução que nunca antes houvera acontecido, como no presente momento. De acordo com ela, “nunca esses órgãos tiveram uma redução tão drástica”.

Marina Gadelha também criticou em seu vídeo, a perseguição que o Presidente tem imposto aos servidores dos órgãos de Meio Ambiente. Ela cita o exemplo do ex-Presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que fora demitido no início do Governo, após fazer denuncias contra o que estava acontecendo.

“No início da gestão do Presidente Bolsonaro, nós tivemos um apontamento do acréscimo de desmatamento e consequentemente de queimadas, denunciado pelo IMPE e o que presidente da República fez foi afastar o diretor do impe, que fez esse apontamento, que fez essa denúncia” – lembrou a Advogada.

Por fim, a advogada que é uma referência em Direito Ambiental em todo o país, disse estranhar o posicionamento controverso e os compromissos assumidos pelo Presidente do Brasil diante dos líderes das grandes potências mundiais, com relação à emissão de gases. Marina diz não acreditar nessas promessas feitas por Jair Bolsonaro, ainda mais se tratando de uma gestão do Meio Ambiente totalmente ligada aos interesses dos infratores.

“Contrariamente a isso tudo, [o Presidente] chega e se compromete com uma redução de 40% das emissões até 2030. Sinceramente, eu adoraria acreditar, mas é impossível, que nós conseguiremos atingir essa meta, diante desse quadro de redução das forças, e quando eu falo das forças estou falando de recursos econômicos e humanos, de que dispomos, dentro dos órgãos ambientais. Com o negacionismo e com o Ministro do Meio Ambiente ou Ministro contra o Meio Ambiente, se comportando como um verdadeiro defensor de infratores ambientais… Eu adoraria acreditar no que Bolsonaro disse a pouco no encontro do clima, mas sinceramente, acho que não consigo” – disparou Marina Gadelha.

Confira o vídeo da Advogada Marina Gadelha

Vídeo de Marina Gadelha. Fonte: Instagram.

Sobre o Discurso do Presidente Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro foi o último dos líderes a discursar no encontro. O Presidente Joe Biden não acompanhou sua fala. Vários jornais Brasileiros como o Estado de São Paulo, a Folha de S. Paulo, a CNN Brasil e outros veículos analisaram a fala do Presidente da República. A Agência Lupa de fact-checking também analisou o discurso de 07 minutos do Chefe do Executivo e encontrou diversos equívocos, bem como falas distorcidas e exageradas.

Redação Gabinete Paraíba

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s